sexta-feira, 15 de junho de 2012

Desigualdades e diferenças é tudo que vejo !

Sua mente ficou frágil como um papel molhado
Pelo grilhão da miséria continua escravizado
A sua senzala é a rua, o senhorio é o preconceito
Sem folclore, sem cultura, sem respeito por si mesmo
Entre a miséria e a riqueza, não se acha o meio-termo
Desigualdades, diferenças é tudo que vejo
Ele falou, me ajude senhor
E ajoelhou, pra amenizar sua dor
Enquanto que na rua vai tentando se virar
Políticos corruptos, champagne e caviar
Escolheu a vida honesta e só conhece o revés.


Nenhum comentário:

Postar um comentário